A Ordo Templi Orientis

Conheça mais sobre a O.T.O.

Fundada em 1904 na Alemanha com o objetivo de atuar como uma Academia para maçons de altos graus, a Ordo Templi Orientis foi a primeira organização a aceitar como base filosófica e mística a Lei de Thelema, tal como fora recebida por Aleister Crowley em 1904 e proclamada no Livro da Lei (Liber AL vel Legis). Disso resultou uma completa reestruturação organizacional, iniciática e filosófica, que terminou por colocar a O.T.O. em uma estrada totalmente nova e desvinculada de todos os grupos de caráter maçônico, rosa-cruz ou semelhantes; uma estrada norteada pela Lei do "Faze o que tu queres".

Esta Lei, ainda que utilizada por muitas pessoas como uma mera desculpa para licenciosidade e irresponsabilidade, é justamente o oposto de tal comportamento. A Lei de Thelema é o supremo chamado para que cada Ser Humano assuma para si a plena responsabilidade por sua vida, por cada uma de suas decisões e as consequências delas, e ainda a responsabilidade por seu próprio autoconhecimento, rumo à descoberta do objetivo central de sua existência: a sua Verdadeira Vontade e a realização deste objetivo. Esse é, para o ou a Thelemita (seguidores da Lei de Thelema), o verdadeiro significado de Liberdade.

A Ordo Templi Orientis busca congregar em seu meio homens e mulheres que compartilhem tais objetivos, cada um e uma com seu próprio método e visão de caminho, buscando estabelecer núcleos sociais livres fundamentados na filosofia Thelêmica, através do fornecimento de auxílio mútuo como informação, aconselhamento, auxílio ritualístico e iniciático, companheirismo e irmandade. Com isso, a O.T.O. estabelece como um de seus principais objetivos a luta pela Liberdade do Ser Humano, de modo que cada pessoa possa atingir a plena realização de seu máximo potencial.

Esta união de pessoas se dá através de grupos chamados Corpos Locais, espalhados por várias cidades ao redor do mundo. Há três tipos deles, por ordem de complexidade administrativa e responsabilidades: Acampamentos, Oásis e Lojas. A maioria dos membros da Ordem participa diretamente de um Corpo Local. A maior parte deles oferece instruções, práticas ritualísticas coletivas e atividades culturais, artísticas e sociais. Os membros são estimulados a manter estudos e práticas em temas tão variados como Magick, Cabala, Tarô ou outros temas que lhes sejam interessantes individualmente ou em grupo. Muitos Corpos Locais também mantêm atividades virtuais como sites, blogs, listas de e–mail ou comunidades em sites de relacionamento. É também comum que publiquem jornais ou revistas com artigos próprios, traduções ou notícias.

Membros que residam em localidades que não disponham de um Corpo Local recebem o conselho de manter frequente contato com seus irmãos e irmãs por meios eletrônicos ou tradicionais para atualização de seus estudos, troca de informações sobre práticas etc., bem como a estarem presentes sempre que possível aos principais ritos do Corpo Local mais próximo.

A Ordo Templi Orientis é uma organização independente, sem vínculos com qualquer outro grupo de caráter religioso, político, iniciático, místico ou de quaisquer outras orientações. Não reconhecemos equivalência de Graus Iniciáticos com nenhuma organização ou prestamos obediência a qualquer outro grupo. A política operacional da O.T.O. é a de respeito ao trabalho de qualquer outra organização e não intromissão em seus assuntos, postura da qual se espera reciprocidade.

Outras O.T.O.'s

Ainda que muitas organizações lancem mão do nome "Ordo Templi Orientis" e da sigla "O.T.O." — com ou sem acréscimo de outros nomes ou siglas — é importante ter em mente que apenas a Ordo Templi Orientis é legalmente reconhecida como sendo a organização fundada por Theodor Reuss e reformulada por Aleister Crowley. Desta forma, existe apenas uma Ordo Templi Orientis, que se organiza em torno do Quartel General Internacional, Grandes Lojas e Corpos Locais autorizados (veja uma lista aqui), sem estabelecer ligações com outros grupos ou organizações. Outras organizações que lancem mão deste nome o fazem de forma não autorizada e não representam a O.T.O., seu trabalho ou metodologia.