Práticas Thelêmicas

A disciplina ritualística dos Thelemitas

 

Principais Ritos

Em termos da práticas mágicka e ritualística do Thelemita, há espaço para cada um escolher aquilo que considere mais apropriado ao seu perfil.

No entanto, há certas cerimônias e práticas que podem ser descritas como gerais. Crowley compôs algumas diretrizes ou programas. Em Liber Aleph ele descreve os seguintes “Meios prescritos em nossos Livros Sagrados” para serem constantemente observados:

Não neglicencies jamais as quádruplas Adorações do Sol em suas quatro Estações, pois desta forma tu afirmas teu Lugar na Natureza e suas Harmonias. (Liber Resh)

Não negligencies a Execução do Ritual do Pentagrama, e a Assunção da Forma de Hoor–pa–Kraat. (Liber O)

Não negligencies o Milagre diário da Missa, quer pelo rito da Igreja Católica (Liber XV) Gnóstica, quer por aquele da Fênix (Missa da Fênix).

Não neglicencies a execução da Missa do Espírito Santo, como a Natureza Mesma te incita.

Viaja também no Empíreo em teu Corpo de Luz, buscando sempre Habitações mais ígneas e mais lúcidas.

Por último, exercita constantemente os Oito Membros de Yoga. E assim tu chegarás ao Fim.

Em Magick em Teoria e Prática, há um programa com ênfases ligeiramente diferentes. Primeiramente recomenda–se Yoga pelo método explicado na “Parte I” do Livro Quatro (Book 4). Então são listados os “mais importantes exercícios” de Magick, como segue:

  • A fortificação do Corpo de Luz pela prática constante de rituais ou pela assunção de Formas-Deuses, e pelo uso correto da Eucaristia.
  • A purificação, consagração e exaltação desse Corpo pelo uso de rituais de invocação.
  • A educação deste Corpo pela experiência. Ele precisa aprender a viajar para qualquer plano; a vencer qualquer obstáculo que possa confrontar. Essa experiência precisa ser tão sistemática e regular quanto possível; para o que não é de uso simplesmente viajar às esferas de Júpiter ou Vênus, ou mesmo explorar os 30 Aethyrs, negligenciando os meridianos não-atraentes.

Adicionalmente a esses programas, há outras práticas básicas geralmente envolvidas com Thelema. A primeira delas é o Diário Mágicko. “É melhor falhar na cerimônia mágicka do que falhar ao escrever um relato apurado dela” (Book Four). O segundo é o curto ritual conhecido como “Will”, ou “Dizer a Vontade” antes da principal refeição do dia. Essa prática consiste em declarar como objetivo consciente (geralmente por conta de um diálogo) que é da vontade do indivíduo comer e beber para fortalecer seu corpo para que assim ele possa realizar a Grande Obra.