O Sistema da E.G.C.

Entenda como funciona a estrutura do braço religioso da O.T.O.

Considerações Gerais

A Ecclesia Gnostica Catholica representa o aspecto puramente eclesiástico da Ordo Templi Orientis. Ela traça suas origens desde a Église Gnostique Catholique fundada por Jean Bricaud, Gérar Encausse e Louis-Sophrone Fugarion em 1907, e foi estabelecida no sistema da O.T.O. por Theodore Reuss. Em 1913 Aleister Crowley escreveu sua principal cerimônia, a Missa Gnóstica — Liber XV, adotando o nome definitivo em latim. Em 1918, Reuss adota o rito oficialmente na E.G.C., proclamando-se "Soberano Patriarca e Primaz da Igreja Católica Gnóstica", sendo sua tradução para o Alemão e publicação neste idioma considerado como a aceitação formal da Lei de Thelema pela Igreja e sua declaração formal de independência da Igreja Gnóstica Universal de Bricaud. Desta forma, a E.G.C. e a O.T.O. tornaram-se inseparáveis e a Missa Gnóstica, o ritual central da Ordem.

Ainda que as origens históricas da E.G.C. estejam ligadas ao revivalismo gnóstico cristão da França do Séc. XIX e.v., com a independência desta da Igreja de Brucaud (e de qualquer outra estrutura que não a própria O.T.O.) e sua aceitação da Lei de Thelema, a E.G.C. abandonou quaisquer ligações que tinha com o pensamento cristão bem como sua sucessão apostólica. A teologia, doutrina  e teoria sacramental da E.G.C. são baseadas nos princípios de Thelema como estrutura religiosa. Seus ritos e cerimônias, ainda que apresentem um grande sincretismo em suas formas (provenientes de uma grande variedade de culturas e sistemas religiosos) são fundamentalmente Thelêmicos. As doutrinas, teologia, cânones e leis das Igrejas Católicas Romana, Católicas Ortodoxas, Jacobitas, Gnósticas e suas variantes e sucessoras não operam dentro da E.G.C.

Associação

Há três subdivisões de associação à E.G.C.: o Clericato, o Laicato e a Congregação.

Clericato

O clericato é composto pelo Patriarcado da Igreja, a Primazia, o Bispado, o Sacerdócio, o Diaconato e o Noviciato.

  • O Patriarcado: O Patriarca ou a Matriarca da Ecclesia Gnostica Catholica, também conhecido(a) como Soberano Patriarca ou Soberana Matriarca, é sempre o Cabeça Externo da Ordo Templi Orientis, independente do país no qual a Igreja esteja operando. Todos os ritos e cerimônias oficiais estão sujeitos à sua aprovação. É a autoridade máxima dentro da E.G.C.
  • A Primazia: Também chamados(as) de Bispos ou Bispas Dirigentes, é sempre o(a) Grande Mestre(a) Geral Nacional Xº de uma Grande Loja, supervisionando e controlando os assuntos da E.G.C. para aquela sessão nacional da O.T.O., sempre sob a autoridade do Patriarca ou da Matriarca, por quem é apontado(a) diretamente. Em países onde não há uma Grande Loja, este posto não é ocupado e o Patriarca ou a Matriarca da Igreja, que controla diretamente as atividades para aquela Representação Nacional.
  • O Bispado: São homens (Bispos) e mulheres (Bispas) que foram reconhecidos pelo Patriarca ou Matriarca como possuindo poderes episcopais dentre os membros de Grau VIIº da O.T.O., que são exercidos em função do avanço da Lei de Thelema através de seu ministério. Possuem o poder e a autoridade para ordenar e supervisionar Sacerdotes e Sacerdotisas, Diáconos e Diaconisas, treinar membros em Noviciato, realizar Batismos, Confirmações, casamentos e réquiens (de acordo com a lei local). Possuem a responsabilidade de atuar como representantes oficiais da E.G.C. dentro da O.T.O. e são fortemente encorajados a participar em serviços comunitários voluntários, conforme apropriado. Há dois casos especiais dentro do Bispado:
    • Bispos(as) auxiliares: são Bispos e Bispas que receberam seu reconhecimento antes de 1991 e.v., não tendo ainda o Grau VIº. Possuem os mesmos poderes e privilégios dos Bispos e Bispas regulares dentro da E.G.C. Espera-se que coordenem seu trabalho com o(a) Primaz ou, se for o caso, diretamente com o Patriarca ou a Matriarca.
    • Bispos em amizade: são clérigos de outros ramos de igrejas gnósticas. Estes bispos são reconhecidos como conselheiros da E.G.C. mas não possuem autoridade eclesiástica.
  • O Sacerdócio: Inclui tanto os Sacerdotes quanto as Sacerdotisas, homens e mulheres, possuidores do Grau de K.E.W., previamente Consagrados no Diaconato, que foram reconhecidos pelo Patriarca ou Matriarca como possuidores de poderes sacerdotais, os quais são utilizados para o avanço da Lei de Thelema em seus ministérios. Têm o poder e a autoridade de celebrar Missas Gnósticas como representantes oficiais da E.G.C. dentro da O.T.O. e são supervisionados por um Bispo ou uma Bispa, podendo receber destes a autoridade para executar consagração de Diáconos e Diaconisas, Confirmações e Batismos, casamentos e réquiens (de acordo com as leis locais). São fortemente encorajados a participar em serviços comunitários voluntários, conforme apropriado.
  • O Diaconato: Diáconos e Diaconisas são assistentes consagrados dos Sacerdotes e Sacerdotisas, que recebem esta ordenação quando estão no Grau IIº da O.T.O. e já sejam membros Confirmados da E.G.C. Têm o poder e a autoridade para assistir os Sacerdotes e Sacerdotisas na execução de seus deveres, coordenando com estes e estas seus deveres, sob a supervisão de um ou uma membro do Bispado. Membros do Diaconato não são considerados representantes oficiais da E.G.C. mas também são encorajados a participar de serviços comunitários voluntários, quando apropriado.
  • O Noviciato: Todo membro iniciado à O.T.O., de qualquer Grau, que já tenham sido Batizado(a) e Confirmado(a) na E.G.C. pode passar por um período de Noviciato para treinamento dentro dos ritos da E.G.C., sob a supervisão dos Sacerdotes, Sacerdotisas, Diáconos ou Diaconisas. Sacerdotes Noviços, Sacerdotisas Noviças, Diáconos Noviços e Diaconisas Noviças podem participar da execução da Missa Gnóstica mas não são considerados representantes da E.G.C.

O Laicato

Aos membros leigos e leigas da E.G.C., já batizados na E.G.C., é oferecida a cerimônia de Confirmação, pelas quais é concedido o ingresso na Igreja. Membros leigos não possuem quaisquer privilégios ou autoridade dentro da E.G.C. O Batismo é aberto a qualquer pessoa maior de 11 anos mas não confere a condição de membro leigo. A Confirmação é aberta a todos os já batizados que tenham atingido a puberdade. O Batismo e a Confirmação de qualquer pessoa menor de idade requer a prévia autorização de seus responsáveis legais.

A Congregação

É considerada como um membro da Congregação qualquer pessoa que esteja presente à uma celebração da Missa Gnóstica, seja ou não um(a) iniciado(a) à O.T.O.