O Que É Ser Forte?

Alguns acreditam que está nos detalhes de saber apreciar a graciosidade das borboletas, sabendo que elas sentem dor quando copulam.

Outros acreditam, que é ser intempestivo e sobrepor-se a tudo que está em volta com devastação.

Algumas acreditam que é ser firme como as rochas, quando na verdade elas são duras. Firmes são as árvores, que além de duras tem raízes…

Outros acreditam que é ser árido como as areias do deserto, sempre evitando as lágrimas, sendo que nesse caso a ausência da chuva não torna os pais preciosos, porque nesse deserto não passam de ilusões.

E ser Thelemita? É ser forte? Buscar consciência explorando o inconsciente? Simplesmente viver um dia de cada vez com medo ou sem medo, com crenças ou sem crenças, ou até mesmo sem “com” ou “sem”, seria essa uma resposta? Porque a resposta não existe, não é? Ou será que sim? O que seria existir?

Tais perguntas muitas vezes podem assombrar nossas mentes durante nossa vida, como se o amanhã fosse um reflexo doloroso de eterna pendência em que supostamente a nossa “existência” se mostra.

Nem sempre obtemos respostas, ou as consideramos. E nesses processos muitas vezes ficamos tão centrados no nosso mundo, que esquecemos que convivemos com muitos bilhões de outros em um só.

A complexidade do universo, tamanha como é, nos enche despropositadamente de desafios. Sabe como? Sendo tão fascinante que quase não conseguimos parar de tentar entendê-lo, e quando conseguimos, bom… Ai cabe a outra estrela dizer, talvez eu no futuro, ou você no presente, vai saber…

Thelemita para mim envolve… Vidas… Seja na natureza ou na existência humana (que faz parte dela), seja na forma singela de olhar para uma flor e para si mesmo, ou dolorida, seja através de si ou dos outros, ou do nada.

É mergulhar em abismos universais sabendo que pode nunca sair de lá, ou sair de lá sem medo. Enfim possibilidades…

Quantos rituais fazemos por dia, quantas conquistas tivemos ou quanto conhecimento adquirimos, por mais que tenha sua importância, não definem quem você é ou quer ser, se é que você quer ou precisa ser alguma coisa. Em nós é tanto desconhecido, tanta imensidão…

Muito do que se vive envolve fracasso, desilusão e aprendizado. E está tudo bem, nem sempre iremos gostar, muitas vezes iremos nos questionar, mas o lance é, vamos continuar?

Sinceramente, para mim, no momento há resposta para essa pergunta e nem para tantas outras. Mas, com certeza, tem experiência.

E se me perguntar, no fim das contas, o que é ser forte ou o que é ser Thelemita? Talvez uma coisa seja aprender todos os dias se tornar a outra e muitas outras e vice versa. Ou, como eu já disse, não se tornar nada. Nos ciclos em que nos depararmos estaremos cercados pelo mistério em que se encontra a ideia de que Thelema além de morte e vivência. Thelema somos nós.


Autora: Soror Ísis