Magia e o Cotidiano Moderno

Pela História, temos observado que os grandes iniciados, em especial, do início do século XX e do século XIV, dispunham, antes de qualquer coisa, tempo, para pesquisar os segredos do Ocultismo. Sabemos por exemplo que Aleister Crowley, Helena Petrovna Blavatsky, Samuel MacGregor Liddel Mathers, Allan Bennet, entre tantos outros, se utilizavam, inclusive, de longas viagens, a fim de buscar o Conhecimento Oculto, em especial no Oriente.

Hoje, mesmo para os mais afortunados financeiramente, isto não é fácil, todos nós temos obrigações, que nos impedem de ficar horas seguidas, todos os dias, em meditação, dirá então consumir meses em uma viagem ao Oriente, ou seja que parte do mundo seja, até mesmo a leitura de um livro se torna complicada, assim como a realização de rituais e outras práticas, e também ao estudo de matérias teóricas do Ocultismo, tudo se torna difícil em meio a este tempo louco de nossos dias.

Então, como é possível, hoje, estudarmos e praticarmos as matérias do Ocultismo? Esta não é uma pergunta de fácil resposta, mas, existe uma palavra, que é pré-requisito básico, para termos sucesso em nossos estudos: Equilíbrio. Equilibrar as nossas necessidades com nossas possibilidades.

É necessário, que saibamos colocar o bem mais valioso do homem moderno, a favor de nosso Intento, o Tempo. Conseguir tempo para o Lazer e o Descanso, neste início de Século XXI, não tem sido tarefa fácil, em especial para aqueles indivíduos que vivem e trabalham nos grandes centros ou nos parques industriais, dá-se impressão de que é impossível. Eu mesmo já pensei, várias vezes, em abandonar tudo, emprego, casa, estudos, e me lançar no mundo, a fim de encontrar o meu verdadeiro propósito, mas não o fiz, achei que facilitaria por um lado e dificultaria imensamente por outro, além do que, isto seria um sinal de fraqueza, como posso eu querer evoluir, se não me esforçar o suficiente para isto?

O importante é unir possibilidades aos Objetivos, dividindo bem o Tempo entre eles, aproveitando, com Sabedoria, todo o tempo disponível. As vezes provocamos uma verdadeira confusão no cumprimento de nossas tarefas diárias e acabamos por perder grande parte do que já foi realizado, isto porque não suportamos a pressão e paramos na hora errada, em momentos cruciais, onde o mais sensato seria continuar, de uma forma ou outra, isto de parar assim é fatal, tal atitude, se repetida, pode trazer grandes danos, ou até o fracasso a uma vida inteira.

Gosto muito de um trecho do Magick in Theory and Practice, de Aleister Crowley, Book Four, Part 3 que diz que “Todo ato intencional é um ato mágico”, isto é confirmado por sua famosa definição: “Magia é a Arte de provocar Mudanças de acordo com a Vontade”.

Por conta disto é importante nos lembrarmos que todos nossos Atos são Mágicos, portanto, Sagrados, e devemos trata-los e pensá-los como tal.

Naturalmente, o Fator Tempo depende de nossas regras de conduta e de nossa disciplina, sem isto, o desenvolvimento do Magista será muito mais demorado, além de mais penoso, principalmente no que se refere as partes de Yoga e Meditação, não se esquecendo de matérias, como a Qabalah, que teóricas e de difícil compreensão, pela nossa origem ocidental, sem disciplina, também terá a assimilação dos Conhecimentos será muito prejudicada.

Outra grande dificuldade que pode ser observada são os Ritos Diários do Sol, no caso de Thelemitas, o Liber Resh vel Helios, com Invocações de seis em seis horas, com a correria do dia-a-dia, acaba-se deixando para trás parte do ritual, seja de manhã por estar atrasado ou acordado tarde, seja meio-dia por não ter tido tempo sequer de almoçar, seja a tarde por ser vencido pelo cansaço e pelo sono antes do crepúsculo, tendo acordado horas depois, já próximo a parte do rito executado a Meia-Noite. Isto prova que com uma rotina de atividades muito pesada, fica imensamente difícil executar um ritual de dez minutos, dirá um que consuma quarenta minutos ou outros tantos que consomem até além disto.

Todo caso é particular, no que se refere a tempo para práticas, no caso da meditação, pode se excluir as sessões diárias, que quando mal executadas acabam tendo efeito nulo, substituindo por práticas que podem varia de três ou quatro vezes por semana, acrescentando-se a isto, momentos de reflexão, que o estudante pode fazer enquanto come, enquanto espera um táxi ou ônibus, enfim enquanto tem um tempo curto de ócio ou faz uma atividade que o permite desviar um pouco da atenção para a Reflexão de um determinado escrito porventura lido no dia anterior, ou por um outro assunto relativo a Ocultismo que o estudante tenha observado por si só.

Tenho que admitir que os resultados não poderão ser tão bons como os obtidos pela meditação propriamente dita, pois não há os elementos preparatórios que levam ao relaxamento mais profundo, e conseqüentemente, ao uso de certas faculdades da mente, mas mesmo assim, qualquer lucro conseguido pelo estudante em práticas secundárias de curto tempo é motivo para que ele desenvolva métodos ou adapte outros a sua rotina diária, pois, por mais superficial que seja o acréscimo, não deixará de ser um acréscimo.

O Magista Moderno deve procurar aproveitar seu Aprendizado e Conhecimento na sua vida, em sua rotina, estamos em uma Era dinâmica, onde mais importante que acumular Conhecimento é saber aplica-lo de forma a conseguir integrar o Conhecimento Iniciático às atividades rotineiras, utilizando o dia-a-dia como laboratório de experimentação do Conhecimento adquirido pelo Magista, afinal é preciso saber “Que no meio de nós não exista diferença feita entre uma coisa qualquer & qualquer outra coisa; pois disto vem dor”. É tudo uma coisa só, ser livre, é saber onde, quando e a que se prender.


Autor: Frater O.S.E.A.